Hoje, quarta-feira, 20 de junho de 2018

PSICANALISANDO > TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE - BORDERLINE E BIPOLARIDADE

 


 

O que são os Transtornos de Personalidade?


Os transtornos de personalidade afetam todas as áreas de influência da personalidade de uma pessoa, o modo como ela vê o mundo, a maneira como expressa as emoções, o comportamento social. Caracteriza um estilo pessoal de vida mal adaptado, inflexível e prejudicial a si próprio e/ou aos conviventes. Essas características, no entanto apesar de necessárias não são suficientes para identificação dos transtornos de personalidade, pois são muito vagas. A maneira mais clara como a classificação deste problema vem sendo tratada é através da subdivisão em tipos de personalidade patológica. Esta forma é bastante adequada, pois se verifica na prática manifestações diversas e até opostas para o mesmo problema....nestes transtornos, encontram-se o Boderline e o transtorno afetivo Bipolar também...

 

 

Transtorno de Personalidade Borderline (BL)


É um transtorno de personalidade que traz sérias conseqüências para a pessoa, seus familiares e seus amigos próximos. O termo "fronteiriço" não se refere ao limite entre um estado normal e um psicótico. Ele se refere mais a uma instabilidade constante de humor.

(vale salientar que o termo Psicótico em Psicanálise ou psiquiatria refere-se apenas a um estado de agitação mental, ou euforia)....

 

Como se caracteriza ?


Caracteriza-se por um padrão de relacionamento emocional intenso, porém confuso e desorganizado. A instabilidade das emoções é o traço marcante deste transtorno, que se apresenta por flutuações rápidas e variações no estado de humor de um momento para outro sem justificativa real. Essas pessoas reconhecem sua labilidade emocional, mas para tentar encobri-la justificam-nas geralmente com argumentos implausíveis. Seu comportamento impulsivo freqüentemente é autodestrutivo. Estes pacientes não possuem claramente uma identidade de si mesmos, com um projeto de vida ou uma escala de valores duradoura, até mesmo quanto à própria sexualidade. A instabilidade é tão intensa que acaba incomodando o próprio paciente que em dados momentos rejeita a si mesmo, por isso a insatisfação pessoal é constante.

 

Aspectos essenciais  (alguns destes sintomas podem estar presentes...outros não)

 

Padrão de relacionamento instável variando rapidamente entre ter um grande apreço por certa pessoa para logo depois desprezá-la.... (Muito impulsivas: idealizam pessoas recém conhecidas, se apaixonam e desapaixonam de maneira fulminante. A mistura de idealização por alguém e a extrema sensibilidade às pequenas rejeições que fazem parte de qualquer relacionamento são a receita ideal para relacionamentos conturbados e instáveis, para rompimentos e estabelecimento imediato de novos relacionamentos com as mesmas idealizações

Mudanças de planos profissionais, de círculo de amizade; Desenvolvem admiração e em pouco tempo desencanto por alguém

Comportamento impulsivo principalmente quanto a gastos financeiros, sexual, abuso de substâncias psicoativas, pequenos furtos, dirigir irresponsavelmente.

Rápida variação das emoções, passando de um estado de irritação para angustiado e depois para depressão (não necessariamente nesta ordem).

Sentimento de raiva freqüente e falta de controle desses sentimentos chegando a lutas corporais.

Comportamento suicida ou auto-mutilante.

Sentimentos persistentes de vazio e tédio. Problemas de auto-estima. Borderlines se sentem desvalorizadas, incompreendidas, vazias. Não tem uma visão muito objetiva de si mesmos.

Dúvidas a respeito de si mesmo, de sua identidade como pessoa, de seu comportamento sexual, de sua carreira profissional.

 

A causa exata é desconhecida, mas a observação de muitos anos sugere quase sempre eventos traumáticos (reais ou imaginados) na infância. Por exemplo: abuso psicológico, sexual, negligência, terror psicológico ou físico, separação

 dos pais, orfandade.

Provavelmente existe também uma vulnerabilidade individual que, juntamente com o stress ambiental desencadeia o aparecimento do transtorno.

Em casos aonde não estão presentes abusos na infância, pode ser originado também por trauma ou decepção de origem afetiva...(separações, decepções profissionais, ou familiares)...

 

 

 

O transtorno afetivo bipolar ou bipolaridade,tem as mesmas características do Borderline...com a seguinte diferença:

 

Instabilidade de humor. Os portadores de DAB ou TAB - Distúrbio ou Transtorno Afetivo Bipolar mostram oscilações de humor que duram semanas ou meses, enquanto as portadoras de Borderline têm oscilações de minutos, horas, dias. Essas oscilações de humor incluem depressões, ataques de ansiedade, irritabilidade, ciúme patológico, hetero- e auto-agressividade.


Ex. Borderline......Uma paciente marca a consulta informando que está super deprimida, querendo morrer. No dia seguinte chega à consulta bem humorada, bem vestida, maquiada, vaidosa e extremamente feliz.

 

 

Como tratar??

 

Tem sido observado que o paciente que possui relacionamento afetivo e familar satisfatório, aonde tenha seu problema compreendido, supera muito mais rapidamente o problema.

Um ambiente profissional satisfatório também é fator essencial...

Terapias...principalmente a Freudiana e Junguiana, são extremamente adequadas, aonde o paciente possa expor todas as suas lembranças, mesmo que elas não tenham mais nenhum aparente peso traumático. Funcionam como um retorno a sí mesmo e suas origens e se afiguram como poder curativo.

O tratamento medicamentoso básico inclui Estabilizadores de Humor, mesmo que não se trate de Bordeline. Os Estabilizadores são importantes, pois eles ajudam a conter a impulsividade e as oscilações de humor.
Antidepressivos e Tranqüilizantes não tem a mesma eficácia constante que teriam em casos de depressões ou ansiedades "puras" mas certamente tem sua utilidade em Borderline e TOC também.

Embora a medicação seja muito importante, ela é ator coadjuvante. O ator principal no tratamento é a Psicoterapia.

 

 

 

* Indicação de Leitura: Temperamento forte e Bipolaridade – Por: Iván Izquierdo (Neurocientista)

 

 

 

- Uso de medicamentos somente com o acompanhamento médico.

 

Voltar


Ana D´Araújo

Psicoterapia | Ana D´Araújo 2011
www.anadaraujo.com.br