Hoje, quarta-feira, 20 de junho de 2018

PSICANALISANDO > DEPRESSÃO

De repente é como se o sol se escondesse, e nuvens cinzas e gigantescas se espalhassem pelo céu da minha existência...

“De repente é como se o sol se escondesse, e nuvens cinzas e gigantescas se espalhassem pelo céu da minha existência, me fazendo esquecer a graça dos cheiros, sabores e cores. Eu só queria a escuridão, e era como se qualquer som de voz, de música ou do ambiente me desconectassem de mim mesmo. Eu só queria morrer....pois minha vida não tinha mais nenhum sentido.”





O que é a Depressão?

De uma maneira bem simples, seu cérebro é formado por inúmeras células que se comunicam entre si através de substâncias químicas chamadas Neurotransmissores e por algum motivo eles não estão "circulando" como deveriam. Por isso você se sente sem pique, com a concentração e a memória fracas, meio "devagar". Em alguns casos, bem mais raramentea pessoa pode sentir cargas de euforia, com alguns sintomas já descritos acima.

 

A Depressão pode ser "química" apesar de ter causa externa ?

Sim. Muitas vezes ela começa reativa a algum problema existencial, seja pela via de um trauma, grande decepção, perdas ou qualquer outro episódio que traga insatisfação ou desgosto com a vida.  Porém com o tempo ela irá se se tornando física.
Úlcera, Infarto, gastrite e muitas outras doenças são desencadeadas por um Stress e no entanto depois também se tornam físicas. A depressão também se instala fisicamente da mesma maneira.

Mas é importante você saber que os eventos de vida que desencadearam a primeira crise de depressão, mesmo que tenham sido solucionados, podem fazer com que ela se aloje e apareça sozinha, sem uma causa ou motivo aparente.

O Cérebro acostuma-se a enviar comandos que são "starts" para as alterações químicas causadoras da depressão.

Por isto é importante que a depressão seja tratada tão logo seja identificada. O tratamento rápido, intensivo e completo (até o desaparecimento total dos sintomas) diminui as chances de recaídas, que normalmente acontecem de forma mais profunda quando se repetem, e podem ocasionar atrofia do hipercombo. Esse dado é especialmente válido para portadores de depressão que perdem meses em psicoterapias e tratamentos alternativos. Terapia é muito importante, mas na depressão ela é ator coadjuvante e não principal, pois a utilização de medicação se tornará essencial.

Como Depressão significa tristeza, as pessoas acham que o principal sintoma da Depressão é a tristeza. Mas não é. O principal sintoma da Depressão é a queda de energia vital.

A depressão atinge todo o corpo da pessoa, e não somente o cérebro. Lentidão, corpo pesado, dores pelo corpo, dores de cabeça, fibromialgia, alterações do ritmo intestinal, náuseas, alterações na pele, cabelo ou unhas, insônia ou excesso de sono, baixa resistência a infecções, e muitos outros sintomas podem ser observados e sentidos a partir da depressão.


Na maioria das vezes, mesmo que os sintomas físicos sejam investigados em exames laboratoriais, nenhuma causa física é encontrada para explicar os sintomas e perdas físicas experimentadas pela pessoa. 

 

Sintomas:

 

Em linhas gerais a pessoa experimenta uma baixa de energia e ausência de qualquer motivação. Algumas pessoas me dizem que é como se a vida se tornasse "cinza" para elas, sem nenhum sabor ou motivação.

Porém os sintomas mais comuns são tristeza, desânimo, insônia, apatia, falta de energia, de apetite (algumas pessoas tem aumento de sono e de apetite), de desejo sexual, falta de vontade ate mesmo de fazer coisas simples tipo tomar banho, assistir televisão ou ler um jornal. Em algumas pessoas choro insistente e incontrolável.

Nem sempre a depressão significa tristeza, na maioria das vezes o sintoma principal é a queda de energia. (desânimo).

Podem ocorrer pensamentos pessimistas e repetitivos que não saem da cabeça. A pessoa perde o interesse por coisas que gostava de fazer ou por pessoas com as quais gostava de conviver. Parece que não consegue se concentrar numa leitura ou guardar na memória o que leu.

Às vezes aparecem ataques de ansiedade com sudorese, palpitações e tremor, verdadeiros ataques de pânico, o que não quer dizer que você também tenha a Síndrome do Pânico.

Também podem ocorrer Pensamentos Obsessivos: a pessoa sabe que eles não fazem sentido mas não consegue tirá-los da cabeça. Por exemplo: conferir portas e janelas, achar que poderia fazer mal a si mesmo ou a outras pessoas, etc. Essa pensamentos podem fazer parte da Depressão e não quer dizer que a pessoa também esteja sofrendo de TOC. (Transtorno Obsessivo Compulsivo)

Problemas que antes eram resolvidos com facilidade se tornam tarefas pesadas e difíceis. Coisas que antes eram agradáveis se tornam desagradáveis.

Muitas vezes aparecem pensamentos de "dormir e não acordar mais". Algumas pessoas se sentem como se estivessem separadas do mundo por uma redoma de vidro (“sensação de ausência”). Outras não conseguem nem sentir alegria nem tristeza ("sensação da falta de sentimentos").

 

Podem aparecer  "idéias fixas". As principais são as seguintes:

- Acha a situação financeira ruim e sem perspectiva, mesmo que não seja bem assim na realidade.

- Sentimento de culpa insistente por coisas que fêz e que não fêz. O passado  volta carregado de auto-recriminações, de arrependimentos, de coisas erradas que fora da Depressão a pessoa nem se lembra que existiram.

- Durante a fase depressiva a auto-estima fica abaixo de zero.

- Acredita estar passando por uma doença incurável.

 

Importante:   Evidentemente nem todas as pessoas com Depressão apresentam todos esses sintomas.


As pessoas mais idosas podem apresentar um quadro clínico com falta de memória importante, às vezes mais evidente do que a própria Depressão.

Outras pessoas sentem nítida piora da Depressão quando o tempo está nublado. É o que se chama de Depressão Sazonal.

 

Causas, fatores desencadeantes e situações que propiciam o aparecimento da Depressão:

Existem muitas. Geralmente é uma combinação de mais de uma causa. Por exemplo:

- Predisposição genética.

- Depressões anteriores. Depressão, “quanto mais tem mais tem e quanto menos tem menos tem”. Daí a importância de começar a tratar o quanto antes.

- Personalidade perfeccionista, detalhista. ( isto provoca naturalmente muita frustração)

- Distimia. (Distimia é um tipo de depressão crônica, de moderada intensidade. Diferentemente da depressão que se instala de repente, a distimia não tem essa marca brusca de ruptura. O mau humor é constante. Os portadores do transtorno são pessoas de difícil relacionamento, com baixa auto-estima e elevado senso de autocrítica. Estão sempre irritados, reclamando de tudo e só enxergam o lado negativo das coisas. Na maior parte das vezes, tudo fica por conta de sua personalidade e temperamento complicado)

- Situações difíceis, desgastantes, frustrantes.

- Perdas: de pessoa querida, de dinheiro, de posição profissional ou social, aposentadoria, divórcios,  etc.

- Gravidez, Parto e Menopausa.

- Síndrome do Pânico.

- Distúrbio Obsessivo Compulsivo.

- Stress Pós Traumático: experiência traumática na qual a pessoa se sentiu indefesa ou humilhada ou sem possibilidade de reação, por exemplo, assalto, seqüestro, acidentes.

- Psicose.

- Pílula Anticoncepcional (causa comum de depressão em mulheres jovens), Implantes  Hormonais, DIUs hormonais.

- Corticóides, Quimioterapia, Interferon, Betabloqueadores, Parlodel, Digitálicos, Dissulfiram, Reserpina, Cinarizina.

- Neurolépticos, Benzodiazepínicos, Barbitúricos, etc.

- Drogas e álcool.

- Anabolizantes, Anfetaminas.

- Apnéia Obstrutiva do Sono.

- Hiper - e Hipotireoidismo, Hashimoto.

- Hepatite (principalmente C), Câncer, Pneumonia, Mononucleose, Reumatismo, Insuficiência Cardíaca, Infarto, Ponte de Safena, Asma, Insuficiência Respiratória, Câncer, Doença de Cushing, Diabetes, Anemia Perniciosa, Lupus, Artrite Reumatóide, Aids, Hipovitaminoses, Doença de Wilson, Sífilis, Huntington, Lupus, Poliarterite Nodosa, Hipovitaminoses, Insuficiência Renal.

- Traumatismos cranianos, Acidente Vascular Cerebral ("derrame"), Insuficiência Circulatória Cerebral, Alzheimer, Arteriosclerose, Esclerose Múltipla, Parkinson, Huntington, tumores benignos e malignos, Epilepsia, Aneurismas, Enxaqueca, etc.

- Dores crônicas, Fibromialgia.

- Radioterapia.

- Manifestação pára-neoplásica.

 

Tratamento:

 

A) Antidepressivos, que são medicações que corrigem o metabolismo dos Neurotransmissores. Eles não são calmantes e nem estimulantes, não criam dependência física e nem psíquica. (estabilizadores).

 

* Qualquer medicação só deve ser utilizada com prescrição e acompanhamento do profissional !!!

 

B) Psicoterapia, É de extrema utilidade, pois a Depressão afeta a pessoa como um todo e quase nenhuma doença se restringe apenas ao seu aspecto físico. Traços de personalidade assim como problemas atuais ou passados podem ter algo a ver com a Depressão. Existem várias técnicas de Psicoterapia e algumas são mais indicadas que outras.

Se a Depressão apresenta certo grau de intensidade, a medicação tem prioridade absoluta com relação à terapia. A Psicoterapia pode esperar um pouco para ser iniciada, mas a medicação não, pois todas as pesquisas indicam que quanto mais rápido começar o tratamento medicamentoso maior é a chance de não se ter recaídas mais tarde.

 

Em quanto tempo pode se experimentar melhora do quadro drepressivo? 

Quase todos os Antidepressivos precisam de 3 a 6 semanas para fazerem efeito. Não interrompa o tratamento por sentir ou não sentir melhora nos primeiros dias. Dê tempo para que a medicação aja como estabilizadora nas químicas cerebrais.

Para a família:

Geralmente a família sofre porque não consegue ajudar e “cobra” que haja melhora, porque vê a pessoa passar por especialistas, fazer exames, tomar calmantes, estimulantes e vitaminas etc. Então começa a acreditar que é "frescura", falta de força de vontade, e começa a dar palpites para a pessoa "se ajudar" "se animar" "reagir" e etc., como se ela não soubesse de tudo isso. É importante saber que não é questão de esforço apenas, mas de uma série de providencias que passam entre medicações e idas ao psiquiatra, bem como a ajuda psicoterapêutica, e isto pode acontecer num processo, que algumas vezes pode ser lento, exigindo paciência, apoio e cumplicidade.

 A Depressão não é sinal de fraqueza de caráter e nem passa somente com "pensamento positivo".

A pessoa com Depressão geralmente está completamente indecisa com relação a tudo. Alguém tem que tomar decisões inclusive para iniciar o tratamento, e na maioria das vezes acompanhá-la nas idas ao médico psiquiatra e incentivá-la às psicoterapias.

 

Atenção:

A) Algumas vezes o primeiro remédio não produz resultado. Isso não quer dizer que seja um caso grave. Na maioria das vezes basta trocar de medicação. Consulte o Psiquiatra que faz o acompanhamento.

B) Mesmo que você já esteja se sentindo bem, não interrompa a medicação. Seu médico deve decidir quando diminuir, interromper ou trocar de medicação. Mesmo que sua depressão seja curta, o tratamento será longo. Na verdade, quanto mais tempo você tomar o Antidepressivo, menor é o risco de uma outra depressão no futuro.

C) Decisões importantes com relação a problemas atuais de sua vida devem ser tomadas depois da Depressão ter melhorado. No momento todos os seus pontos de vista estão pessimistas e você corre o risco de tomar decisões que não tomaria se não estivesse deprimido.

D) A Depressão pode voltar? Muitas vezes pode. Existem fatores que serão avaliados para se chegar a uma conclusão. Porém, hoje em dia existem várias possibilidades de se fazer um tratamento preventivo para evitar esse problema.

E) Se quando parar ou diminuir a dose do Antidepressivo os sintomas da Depressão voltarem, não quer dizer dependência da medicação, mas sim que ainda não era hora de ter parado. Antidepressivos não criam dependência. A Depressão é que algumas vezes exige tempo de tratamento mais longo.

F) Um bom condicionamento físico é sempre importante, pois a ginástica libera endorfinas, que são nossos antidepressivos naturais e aumentam nosso bem estar. O intestino funciona melhor, a pressão arterial fica mais estável, etc.

G) Terapias alternativas, massagens de relaxamento: sempre ajudam e muito, principalmente as terapias alternativas.

 H) Diminuir álcool e cafeína (café, chá preto, chá mate, refrigerantes) sempre ajuda.

Concluindo: a Depressão é uma doença que incomoda muito a vida do paciente e de sua família. Por outro lado, costuma ser fácil de tratar. Assim como na Depressão a pessoa não consegue se imaginar bem, quando ela passa a pessoa não consegue imaginar como era possível estar tão mal tão pouco tempo atrás.

 

 

Pesquisa de apoio:
Dr. Rubens Pitliuk, Médico Psiquiatra -  www.neuropsiquiatria.net


Voltar


Ana D´Araújo

Psicoterapia | Ana D´Araújo 2011
www.anadaraujo.com.br