Hoje, sexta-feira, 20 de julho de 2018

POEMAS > MARES DE AMOR




 Do canto de meu barco na areia te contemplo

Passas com um olhar de mulher, mas com jeito de menina

Vejo teus traços, observo teu sorriso

Buscas no horizonte o que já achei na tua poesia de ser


Daqui vejo tua alma

Mas também não ignoro tua pele

Não és apenas uma mulher para admirar

És mulher de desejo e paixão


Vejo-te envolvida na poesia

Encantada com as possibilidades

Aberta para o amor


Deixo prosseguires

Mas não me faço despercebido


Faço meu olhar escapar te revelando que tenho o que precisas

Deixo meu corpo queimado do sol te mostrar que tenho o fogo que necessitas


Sei que me viste e ainda segues teu caminho

Mas teus olhos já levam os meus

Sei que cruzaremos histórias

Dois olhares e quatro mãos


Uma paixão que não necessita ser nada além do encontro do meu mar com o teu céu


Prossegues livre

Permaneço livre


Podes ter um mundo, mas tornaste-se minha num instante em que percebeste que nossas almas se irmanaram no solo dos sonhos


Antônio dos Mares


11 de Janeiro de 14

Voltar


Ana D´Araújo

Psicoterapia | Ana D´Araújo 2011
www.anadaraujo.com.br